fbpx

Coronavírus: em 1 ano, Brasil teve 1 caso a cada 3 segundos

1 ano do 1º caso confirmado

251.498 mortes em 12 meses

Cerca de 10,4 milhões de casos

 

O Brasil teve seu 1º caso de coronavírus (Sars-CoV-2) anunciado pelo Ministério da Saúde em 26 de fevereiro de 2020. Nesta 6ª feira (26.fev.2021), completa 1 ano do 1º diagnóstico da doença no país.

Nos 366 dias entre as datas (2020 foi ano bissexto), o Brasil registrou 1 caso a cada 3 segundos. Foram 1.200 diagnósticos por hora. Essas são as médias considerando os 10.390.461 casos de coronavírus registrados até as 18h da 5ª feira (25.fev.2021), o último dado disponível.

Na noite de 5ª feira, o Ministério da Saúde confirmou que o Brasil passou da marca de 250 mil mortes pela coronavírus. São 251.498 pessoas que perderam a vida nos 12 meses desde que a pandemia chegou ao Brasil.

Nesse período, o Brasil teve uma pessoa hospitalizada com a doença a cada 50 segundos. Foram 754 mil internações registradas pela doença até as 12h de 20 de fevereiro, último dado disponível. O número foi divulgado no último boletim epidemiológico do ministério (íntegra – 8 MB).

EVOLUÇÃO DA PANDEMIA

Eis a trajetória do coronavírus no Brasil:

INFECTADOS

Janeiro: recorde de casos

Foram 1,5 milhão de diagnósticos confirmados pelo governo no mês. Até dia 25, fevereiro teve 1,2 milhão de infectados.

O número total de casos, no entanto,  é considerado subnotificado. Segundo Fernando Barros, coautor do estudo epidemiológico Epicovid-19, o número real de infectados no Brasil é estimado em 35 milhões (17% da população). É mais que o triplo do informado pelo Ministério da Saúde.

Repique de casos

A média móvel de novos infectados caiu no fim de julho. Voltou a subir a partir de 6 de novembro. O ápice foi em 12 de janeiro: 55.061.

Poder360 usa como métrica a média móvel de 7 dias. Ou seja, a média diária de casos nos 7 dias anteriores à data. A curva matiza eventuais variações abruptas, sobretudo nos fins de semana, quando há menos casos relatados. Isso porque nesses dias há menos funcionários nas secretarias estaduais de saúde para reportar e, no Ministério da Saúde, para compilar os dados

Infectados por região

Sudeste tem 3.779.069 casos confirmados. Representa 36% dos diagnósticos no Brasil.

MORTES

Julho: mês com mais vítimas

Foram confirmadas 31.627 vítimas em julho de 2020. Em fevereiro de 2021, foram 26.994 mortes até 5ª feira (25.fev).

Média de mortes

O pico foi registrado ontem (25.fev): 1.149. É referente à média de 19 a 25 de fevereiro.

Vítimas por região

Sudeste tem 116.141 mortes. Representa 46% das vítimas no país.

 

 

Idosos morrem mais

Pelo menos 159.629 brasileiros com 60 anos ou mais morreram de covid até 20 de fevereiro. O grupo representa 74,4% das mortes. Em maio, o percentual era de 69,2%.

Sistema carcerário

CNJ registrou 62.351 casos no sistema prisional. Foram confirmadas 253 mortes. Houve 46.901 diagnósticos (número equivale a 6,7% da população carcerária). Os presos que pegaram a doença e morreram somam 141. Os outros 15.450 casos e 112 mortes são de servidores.

População indígena
Até 25 de fevereiro, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil contabilizou 49.331 casos confirmados de covid e 973 mortes. Segundo a organização, são 162 etnias infectadas. O vírus infectou 6,5% dos índios em aldeias e matou 0,13%.

VACINAÇÃO

1ª vacinada no Brasil foi a enfermeira Mônica Calazans, em 17 de janeiro. Ela é negra, tem 54 anos e trabalha na UTI do hospital Emílio Ribas, em São Paulo. Foi voluntária dos estudos da CoronaVac, mas havia tomado placebo.

3% receberam 1ª dose

Até as 17h50 de 5ª feira (25.fev), pelo menos 6.261.949 tomaram a 1ª injeção. Foram 1.692.023 os que receberam a 2ª dose. Representa 0,8% da população. Os dados são do CoronavirusBot, que compila dados das secretarias estaduais de saúde.

São Paulo foi o Estado que mais aplicou as primeiras doses em números absolutos: 1.743.427. Já o Amazonas foi o que mais vacinou proporcionalmente: 5,5% da população recebeu a 1ª injeção.

Vacinas aprovadas

Eis os imunizantes liberados pela Anvisa:

Cronograma

O governo federal divulgou um novo calendário de entrega na 5ª (25.fev.2021). Espera pelo menos 199 milhões de doses até julho. Eis a íntegra (69 KB).

O problema: Fiocruz e Butantan usam matéria-prima importada. Se o fornecimento atrasar de novo, a principal fonte de vacinas do país fica comprometida.

Até 2022

Os planos do Ministério da Saúde de imunizar os grupos prioritários até maio contam com 30 milhões de doses de vacinas que sequer foram aprovadas pela Anvisa. Depois de concluída essa etapa, será preciso 1 ano para imunizar o restante da população.

BRASIL X MUNDO

3º em número de casos

Apenas os EUA e a Índia têm mais infectados. São 29.049.584 e 11.063.038 diagnósticos, respectivamente.

2º com mais vítimas

São 520.699 mortes nos EUA, 269.201 a mais que no Brasil.

Mortes proporcionais

São 1.188 mortos a cada milhão de habitantes no Brasil. É a 21ª maior taxa do mundo.

16º em vacinação

Outros 15 países já vacinaram mais, proporcionalmente, que o Brasil. Em números absolutos, é o 8ª que mais aplicou doses. No gráfico abaixo, o Poder360 selecionou 10 nações.

 

Fonte: EBC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *